h1

Ponto e Virgulas

Sobre o blog.

O nome do blog
foi escolhido gramaticalmente. Era para ser somente Ponto e Virgula, porem alguém já registrou esse domínio com as suas varias formas, então só me restou fazer um com “s” afinal, como eu gostoooo de escrever serão muitos ponto e virgulas que irão surgir por aqui !!

Saiba mais sobre Ponto e Virgula:

Tocou na ferida, hem? Eis um assunto que pouquíssimas pessoas dominam, assim como a sua prima mais próxima, a vírgula. O ponto-e-vírgula (escrito com hífen, aliás)é um sinal utilizado quando a pausa desejada não é tão breve quanto a vírgula nem tão longa quanto o ponto. O ponto-e-vírgula é, pois, uma pausa intermediária
entre o ponto e a vírgula (é claro!).

Quando usá-lo?

  • Em enumerações
    (muito usadas em textos jurídicos – leis, artigos, decretos, etc. – e em livros didáticos), principalmente se os elementos enumerados forem relativamente extensos e numerosos. Exemplo: Havia vários fatores que corroboravam sua personalidade violenta: morava numa região muito violenta, na qual tiros e facadas eram algo comum; nunca teve acesso à escola e à boa informação,
    por não desfrutar as condições econômicas básicas para isso; era espancado pelo pai quando tinha seis anos de idade; etc
    . Veja que cada elemento enumerado é um período composto, com mais de uma oração (verbo) cada um. Essa extensão exige uma pausa maior que a vírgula, mas não tão grande quanto o
    ponto. É aí que entra o ponto-e-vírgula. Você também deve ter notado que entre o último elemento e o etc. também houve o ponto-e-vírgula.
    Quando os grupos são separados pelo ponto-e-vírgula, o etc., se der continuidade a essa enumeração, deve ser precedido pelo mesmo sinal.
  • Quando a vírgula marca a omissão de um verbo, pode haver, antes do sujeito desse verbo, uma pausa representada pelo ponto-e-vírgula ou pelo ponto simples. Exemplo:
    O general não temia o que lhe podia acontecer; os soldados,
    sempre
    (temiam); O general não temia o que lhe podia acontecer.
    Os soldados, sempre
    (temiam). Se a pausa em questão fosse marcada por uma simples vírgula, o sujeito os soldados poderia ser visto como um elemento intercalado, isolado por vírgulas, o que prejudicaria a fluência da leitura: O general não temia o que lhe podia acontecer, os soldados, sempre. Notou como não ficaria bom?
  • Quando você achar que há excesso de vírgula, uma muito perto da outra, apele ao ponto-e-vírgula.
    Em determinadas situações, é um elemento indispensável à boa seqüência do texto. Exemplo: Eles sabiam de tudo o que se passava no colégio interno, mas, como já era de se esperar, nunca fizeram nada. Há uma oração “atrapalhando” a seqüência entre mas e sua oração (nunca fizeram nada). E antes do mas há outra vírgula. Poder-se-ia usar o ponto-e-vírgula antes do mas, a fim de diminuir essa virgulada toda:
    Eles sabiam de tudo o que se passava no colégio interno; mas, como já era de se esperar, nunca fizeram nada. Esse não é um caso obrigatório.
    O sinal é elucidante, enfatiza o caráter adversativo (contrário) da oração introduzida pelo mas, porém poderia ter sido empregada a vírgula também.
Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: